Tudo que é muito importante para nós merece um caprichado planejamento para que possamos atingir um resultado excepcional. O estranho é que eu vejo os serumaninhos planejando um churrasco com todo o esmero, mas para um dos dias mais importantes na vida do cara (com potencial de mudar TUDO para melhor) alguns não dão a menor bola! COMO ASSIM, BRASIL?????

Passar em um concurso é – por definição – um PROCESSO. O que é processo?

Sequência contínua de fatos ou fenômenos que apresentam certa unidade ou se reproduzem com certa regularidade; andamento, desenvolvimento. Dicionário Michaelis.

Em outras palavras, um processo pressupõe ETAPAS.

Quando eu estava no colégio, depois na faculdade e principalmente depois que virei concurseira, passei a observar um “fenômeno”: em toda matéria que eu achava muito difícil o material apresentava a mesma FALHA: alguma etapa era pulada.

Vou explicar melhor. Quando estamos aprendendo qualquer coisa nessa vida, seja uma matéria de concurso seja cozinhar um prato delicioso, as etapas precisam ser RIGOROSAMENTE ensinadas ao aprendiz. Mesmo que apenas 1 etapa de 100 seja pulada, o resultado será seriamente comprometido. Tente fazer qualquer coisa em contabilidade sem saber fazer lançamento. Não vai rolar!

Professores e coachs realmente bons possuem mais do que conhecimento. Eles têm DIDÁTICA. O que é isso? Basicamente é apresentar a quem ele ensina o processo completo, com TODAS as etapas e na ordem em que elas devem acontecer. Se seu professor escreve o livro ou material dele assim, garanto que até Física Quântica você aprende. Ou seja: Cole em quem ensina dessa forma. #ficaadica

Voltemos. Quais são as ETAPAS do PROCESSO chamado CONCURSO PÚBLICO? Vamos lá:

1 – Definir o foco

Filho, você tem que ser tipo um sniper da SWAT! O tiro tem que ser certeiro! Atirar a esmo só vai servir para gastar cartucho (leia-se: tempo, grana e emoções) em vão. Tá com cartucho sobrando? Acho que não!

2 – Saber estudar para concurso

É aquela velha história de “afiar o machado” que vocês já devem conhecer. Pegue um machado velho, não afiado e tente derrubar uma árvore. Dureza, né? Agora tente com um machado perfeitamente afiado. Você fará o serviço em menos tempo, usando menos recursos (físicos e mentais) e terá um resultado MUITO superior. Estudar para concurso sem saber exatamente como fazer é – basicamente – tentar derrubar uma árvore com a faca de cortar pão.

3 – Criar um cronograma eficiente e executável

Cronograma dos sonhos que não dá para cumprir na prática só gera frustração, que por sua vez gera desistência. Em outro artigo vou passar as manhas para criar um plano de estudo que te mantenha concentrado por mais tempo e te canse menos, beleza?

4 – Estudar sem MIMIMI

Não tem stabilo, planner bonito e cronograma bem feito nesse mundo que magicamente colocarão seu nome no Diário Oficial. Tudo isso é legal? Sim. Resolve seu problema? Não! O que vai colocar seu nome lá é estudar sem ficar de autopiedade pensando “ain, tadinho de mim… todo mundo está na praia e eu aqui”, “ain, que vida difícil”, “ain, todo mundo está felizinho menos eu”, “ain, Fulaninho arrumou um emprego massa e eu tô aqui ferrado”. Você não tem tempo para isso!

“Ain coach, você é muito dura”. CESPE, ESAF, FGV e similares são mais! Treino duro, jogo fácil! “Brigada. De nada!”

5 – PLANEJAR O BENDITO DIA DA PROVA!!!!

Putz… você faz a parte mais difícil e erra aqui??? É sério isso? Na etapa final?? Na parte mais fácil, mas não menos importante?? Amigo, erro assim é para amadores! E aprovação não é para amadores! Aprovação é para PROFISSIONAIS DO ESTUDO! Capacite-se, criatura! Como? Vem que te ensino e POR ETAPAS, lógico:

Etapa 5.1: Leia o edital e saiba o que esperar.

Serão quantas questões? É CESPE? Vai ter penalidade por erro? Vai chutar? Vai parar de chutar quando atingir que % de questões feitas? Vai ter discursiva no mesmo horário da objetiva? Quantos textos/questões? Quantas linhas em cada? Quais matérias/assuntos serão cobrados na discursiva? Se você não pensa nessas coisas, já está praticamente reprovado.

Etapa 5.2: Preveja quanto tempo vai gastar em cada matéria.

Português, por exemplo, pode ser um buraco negro. Vai fazer a prova de AFRFB? A chance de você ficar a vida toda lendo os textos que a ESAF colocou nessa disciplina é enorme! Contabilidade e RLM possuem a mesma característica: tem potencial para consumir horas de prova sem você se dar conta.

As bancas (TODAS) testam seus conhecimentos E TAMBÉM SUA SAGACIDADE. Há questões que são colocadas na prova justamente para te atrasar, para te confundir, para te fazer perder tempo e ficar nervoso. Aprenda a identificá-las! Na hora da prova tem que ser “Opa! Questão buraco negro! Ufa! Desviei!” Inspire-se no Neo, de Matrix! Caso contrário, vai deixar a discursiva em branco, deixar partes grandes da objetiva sem fazer, vai ter que chutar o que acertaria se tivesse tempo de ler a questão, não vai conseguir marcar o gabarito direito… Já vi esse filme MILHARES DE VEZES! Gente bem preparada reprova por essas bobagens altamente contornáveis. Não seja essa pessoa!

“Mas Gabi, como identificar os buracos negros?”  Estudando EM CASA e fazendo trocentas questões da banca (faça por assunto no começo dos estudos e depois faça provas na íntegra marcando o tempo)! Não fez questões da banca? Sua chance de passar é mínima. Sorry!

Resumindo: Observe EM CASA quanto tempo gasta para fazer a quantidade de questões que a prova vai cobrar por matéria. Deu o tempo estipulado na hora do concurso? Toca para frente! Se sobrar tempo você volta! O importante é GARANTIR que você vai conseguir fazer todas as matérias, marcar o gabarito, fazer a discursiva e passar a limpo à caneta. Por isso deve fazer primeiro as questões fáceis, depois as médias e só no fim as cabulosas! Assim, se precisar chutar ou deixar em branco, vai fazer isso nas questões que tinha menos chance de acerto. Dano minimizado, portanto.

Etapa 5.3: Treine o emocional.

Odeia marcar tempo em casa para resolver questões porque fica nervoso e não faz direito? Supera, amigo! No dia prova vai ter tempo marcado e você não terá opção a não ser obedecer. Treine EM CASA o controle emocional com seu amigão, seu “parça”, o cronômetro!

Outra dica boa é fazer concursos, mesmo sem focar neles, mesmo sem estudar muito. Acostume-se com o “clima” do dia de prova, a ver aquele mundo de gente querendo uma vaga (a SUA vaga!), a sentir a pressão DE VERDADE!

Etapa 5.4: Crie um sistema para fazer uma boa redação em pouco tempo.

É ruim de texto? Faça um favor a si mesmo e entre em um curso de discursiva. Nada como ver seu texto corrigido por quem “manja dos paranauê”!

Se você fará uma redação (e não questões discursivas), minha dica de jornalista é CRIE UMA FÓRMULA. “Oi????? A coach tá doida…”.

Uma pequena anedota para vocês: Meus 2 irmãos tinham pânico de redação no vestibular. Pânico estilo lágrimas caiam no papel em branco. A prova foi chegando e eles não melhoravam. Para tentar salvá-los, eu criei uma “fórmula“ de redação: Determinei de antemão o número de parágrafos e linhas de cada um. Em seguida, usei conectivos no início da cada frase para garantir que eles iriam fazer introdução, desenvolvimento (com argumentos a favor e rebatendo os contras) e conclusão. Eles só teriam que “rechear” na hora conforme o assunto cobrado. Os 2 passaram! Conclusão: Dá para planejar praticamente tudo! Tenha uma fórmula em caso de emergência!

Por fim, marque o tempo que leva para esqueletar o texto, escrevê-lo, revisá-lo e passa-lo à caneta.

Etapa 5.5: Treine marcar gabarito.

Nada, absolutamente nada, deve ser novidade para você no dia da prova. Novidade estressa, assusta e cria variáveis… e nós precisamos reduzir o número de variáveis para gerar um resultado mais PREVISÍVEL (a aprovação!).

Para isso, faça simulados com gabarito de verdade e faça concursos só pela experiência. Crie seu sistema para não marcar errado. Eu usava a identidade como régua para ir marcando linha a linha sem me enrolar.

Está convencido de que TEM QUE PLANEJAR o dia D? Ainda não? O que te faz acreditar que improvisar no dia da prova é a melhor opção? Pense comigo: Se você não conseguiu fazer o número de questões da prova no tempo certo em casa várias vezes, o que te faz acreditar que no dia D vai acontecer um milagre? Não que eu não creia em milagres… só acho que o RISCO é enorme. E nesse business de concurso a grande sacada para MAXIMIZAR AS CHANCES é REDUZIR OS RISCOS.

 

Beijo

Gabi

Uma resposta para “Você planeja seu dia de prova? DEVERIA!”

  1. Mônica disse:

    Ai que texto maravilhooooooooooooso, Gabiii!!! Amei!!! Amei!! E ameeeeei!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *