Depois de uns 4 anos estudando com força, eu PIFEI. Mas pifei REAL. Eu nem sabia que isso era possível! Queria que alguém tivesse me avisado. Talvez até fui avisada… mas não ouvi.

Fato é que minha vontade de passar era, na verdade, um DESESPERO. Eu PRECISAVA do emprego. Simples assim. Eu sou motivada por natureza. Até demais. Isso é bom por um lado e ruim por outro. Sempre fui de cruzar a linha do limite com minha empolgação.

Pois bem. Esclarecido que eu não tinha NENHUM mimimi para estudar e que procrastinação nunca foi meu problema, eu cheguei em um ponto que EU NÃO CONSEGUIA LER NADA. Sério. Eu abria o livro e eu não conseguia ler uma frase sequer. A sensação era que eu tinha entupido meu cérebro! Uai… Mas a gente não usa nem 10% dele (não é isso que ouvimos por aí???)!!! Ele não poderia estar cheio então! Pensei que era cansaço. Dormi mais. Não melhorei. Tirei uns dias de descanso. Voltei. NADA MELHOROU. Tirei mais dias. Nada. Bateu o desespero! Meu ponto forte sempre foi minha FORÇA PARA LUTAR. Essa era minha arma.

Não tenho inteligência acima da média e nem memória foda. Só tenho meu espírito de LUTA. Sem ele, tô perdida! Cada vez que abria o livro, as lágrimas escorriam. Eu estava “quebrada”. Assim veio o edital esperado e uma reprovação que balançou meu mundo. Tristeza. MESES parada sem me reconhecer. Eu não era aquela pessoa! Parada! Assustada! Incapaz de agir! REAGE, GABIIII! E nada! Todo dia… Nada.

Daí, comecei a OPERAÇÃO DE RESGATE. Me obrigava a tomar sol diariamente, caminhar e descansar (restauração física). Terminei um namoro treta demais (restauração sentimental). Comecei a dizer SIM para TUDO O QUE TINHA MEDO (dirigir, fazer cursos, passear…. tudo SOZINHA… para restaurar a confiança em mim, minha sensação de liberdade e independência). Voltei a dar aulas de inglês (restauração do convívio profissional). PARA TODAS AS VONTADES QUE TINHA, EU DIZIA SIIIIIM (sempre que o $ permitia). Descanso? Sim! Sorvete? Sim! TV por horas? Sim! Cochilo de tarde? Sim! Passeio no shopping? Sim! Tudo SOZINHA. E devagarzinho fui me fortalecendo… Me conhecendo de novo. Confiando em mim.

De repente, eu que era um grãozinho de areia perto da magnitude de um concurso e das metas da vida de adulta que me pareciam TÃO INALCANÇÁVEIS, fui crescendo. E me senti MAIOR do que os desafios novamente…. Como há muito tempo não me sentia. E assim, meses depois, eu voltei a estudar. Com mais calma, menos medo, por menos horas, com mais equilíbrio.

O burnout foi do fim de 2009 até o fim de 2010. 1 ano e pouco nesse limbo + restauração.

Em abril de 2011, passei no TJ ES. Oitavo lugar. Em novembro, tomei posse.

Nesse período, passei na ALES tbm. Outra posse.

Ainda no TJ, conheci meu marido. O Ronaldo. Não teria Ronaldo se tivesse passado em provas anteriores. Ainda bem que não passei.

Em 2012, já tinha saído do TJ, estava namorando o Ronaldo. Já estava dando aula no Ponto dos Concursos! Em 2013, noivei. Em 2014, casei. Em 2015, compramos nosso apê.

Em 2017, entrei no Estratégia e lancei nosso Mente Concurseira. Em 2018, fundei nosso site Mente Concurseira e passei a empreender SOZINHA (aquela experiência lá trás de aprender a fazer as coisas sozinha foi CRUCIAL).

AGORA, 2019… livro novo saindo. Dando aula na pós de Coaching Jurídico. Feliz. Servidora. Alguns sonhos realizados. Outros a realizar. Com minha empresa.

Percebe que CADA TRETA gerou uma HABILIDADE que me permite fazer o que faço hoje??? Não só no trabalho… Mas na vida pessoal. TRETAS, MUITO OBRIGADA. DOEU, MAS VALEU. VALEU DEMAIS. Essa é minha história. A sua vai ser diferente… Mas as tretas… ah… elas farão por vc o que fizeram por mim. NÃO TENHO DÚVIDAS!

Beijo

Gabi

2 respostas para “Como superei meu burnout de concurseira”

  1. Marina disse:

    Meu Deus estou vivendo exatamente cada letra desse texto! E por está assim, estou buscando até vivenciar outras experiências na vida profissional como uma parceria de escritória com uma amiga em uma sociedade (de despesas). Estou na dúvida, medo e angustiada, pois estudo desde 2017 ( sensação de está sem resultados), e como estou exatamente como o texto descrito, estou buscando outros meios para sair dessa, inclusive pelo aspecto financeiro já que só estudo!
    Preciso de um norte =(

    Espero achar ou reencontrar o meu caminho!

  2. KELLEN disse:

    VC É O QUE, QUEM, PRECISAMOS TER POR PERTO. OBRIGDA, POR TUDO.

Deixe uma resposta para Marina Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *